Cadastre-se abaixo e saia na frente. 

Você vai receber um conteúdo gratúito para correr com seguraça e eficiência.

“O importante é competir”.

Equipe Fit Run      segunda-feira, 11 de junho de 2018

Compartilhe esta página com seus amigos

 

 

 

“O importante é competir”.

 

Todos nós já ouvimos essa frase, sobretudo quando éramos crianças e perdíamos alguma disputa, fosse ela uma “Olimpíada de Matemática”, uma prova esportiva, um jogo ou apenas uma brincadeira.

 

A competição não é um fator exclusivo das experiências esportivas, pois reflete valores e objetivos sociais.  A vida é muito competitiva e o esporte logo cedo já mostra como lidar com essa questão, tanto do lado positivo quanto do negativo.

 

A competitividade pode ser positiva e funcionar como uma bem-vinda mola propulsora para o desenvolvimento, mas assume caráter negativo quando sai do controle e vencer sempre se torna uma obsessão.

 

Em uma sociedade que glamouriza a performance, somos convencidos de que extrair o máximo de nós mesmos é uma auto imposição desejável.

 

O fato é que a frase,“O importante é competir”, sintetiza o espírito olímpico difundido pelo Barão de Coubertin, considerado o “pai” dos Jogos na Era Moderna, traz uma lição de vida.

 

Mas o que significa, afinal, competir?

 

Em essência, significa ter tido a garra e a ousadia para enfrentar obstáculos e fazer o melhor para vencer, seja qual for o resultado final. Significa saber que você deu o seu máximo.

 

E competitividade não se trata apenas de competir com o outro, mas consigo mesmo e com o seu próprio desempenho.

 

No mundo dos esportes, essa característica é intrínseca. Tanto que cada prova é chamada de competição. Os atletas competem com eles mesmos e contra todos os adversários.

 

A competitividade gera mudança contínua, e isso é ótimo, pois tira as pessoas da zona de conforto. Faz com que ganhemos forças no que estamos fazendo e muitas vezes potencializa os resultados.

 

Mas será que pode haver uma competitividade negativa, aquela que ultrapassa os limites do bom-senso e passa a ser ruim?

 

A resposta é sim! Observe se você apresenta atitudes competitivas em todos os âmbitos do universo familiar, escolar, trabalho e nas atividades esportivas. Como você lida com a competição? Se você não reage bem ao fracasso e tem baixa tolerância à frustração, essas reações comprometem sua autoestima e você começa a fugir de situações nas quais possa perder. Com o tempo, poderá abrir mão de competições, provas e concursos importantes, com medo de fracassar.

 

Todo atleta deve ser comprometido com a vitória, com o seu objetivo, contudo sabendo jogar as regras do jogo, tendo como norma principal a dedicação, a qualidade, inteligência emocional para lidar com as adversidades, os fortes treinos, competições. Manter o foco sem desrespeitar o adversário, sem rixas, atritos ou diferenças apesar de existirem e fazer parte do cotidiano de todos os atletas.

 

Abertura da Olimpíada Rio 2016

 

Quem foi o encarregado da grande honra de acender a Pira Olímpica? Vanderlei Cordeiro de Lima, o atleta brasileiro que não venceu a maratona da Olimpíada de Atenas de 2004, por ter sido agarrado por um lunático quando estava muito a frente dos demais competidores. Por causa disso, Vanderlei terminou em terceiro lugar.

 

Naquela oportunidade, por seu esforço esportivo, recebeu do COI-Comitê Olímpico Internacional a medalha Pierre de Coubertin, que somente é concedida para atletas que valorizam a competição olímpica mais do que a vitória, e que é considerada uma distinção elevadíssima atribuída pela entidade.

 

Será que, se Vanderlei tivesse ganhado a maratona, teria sido escolhido para acender a Pira Olímpica?

 

Claro que somente os deuses gregos saberiam responder... Mas esse fato permite que façamos uma reflexão sobre a ideia de que "o que importa é competir".

 

Ser um atleta é ter ambição, disciplina e esforço.

 

Quando um atleta mostra que é melhor que o outro, não significa que o outro seja ruim. Não é porque um corredor como Usain Bolt seja imbatível nos 100 metros rasos, que o segundo, terceiro ou quarto sejam maus corredores. Significa apenas que ele é o mais rápido. E quem compete contra ele, tem um longo aprendizado de esforço. Ele é mais rápido, vai à frente, mas, com isso, leva com ele os demais, que também se superam e crescem a cada competição. Nesse sentido, são todos vencedores e provam que vale sim a pena competir, ainda que já se saiba quanto será difícil vencer.

 

 

 

LEIA TAMBÉM:

10 Milhas Garoto: Como proceder na 3ª ponte

Fortaleça o CORE e melhore sua performance na corrida de rua.

Quer começar a correr ou quer obter o seu máximo em performance?

MUDE SEUS HÁBITOS e TRANSFORME a SUA VIDA!

NÓS VAMOS TE AJUDAR!